edições

Quarta Edição

Maio

A 4ª Edição do Diurna. vive dos mesmos desafios que qualquer outra até então: ser mais e melhor. Plural. Interessante e cativante. Nas várias vertentes da Católica Porto, mas não só. Nesta Edição, a que encerra um ciclo, voltamos a nomes já conhecidos e desafiámos novos para construir a última edição do 1º ano. Boa leitura!

A Nossa História

Uma Visita aos Bastidores do Jornal Académico da Católica Porto

 

Quando imaginamos o Diurna., antes mesmo de este ter nome, forma ou uma Equipa bem definida, conforme poderão ler na História que discorremos a seguir, entendemos algo de fundamental: a pluralidade seria a chave para o (eventual) sucesso.

Sediados numa Universidade cuja morfologia é única em Portugal — por se dividir entre quatro campi dispostos por zonas tão diferentes do país: Lisboa, Porto, Braga e Viseu — sabíamos que a multiplicidade de saberes e de ideias que se faziam notar pelos nossos corredores era sintomática dessa diversidade.

Através do Diurna., enquanto alunos, mas também enquanto pedras edificantes da nossa alma mater, quisemos sempre promover a interligação entre os que aqui passam os seus dias, fomentando conversas e discussões transversais que, de outro modo, talvez não existissem.

Esta batalha, de todo em todo, não se fez nunca sob ótica de uma congregação de atenções sobre o nosso projeto. Quisemos, igualmente, ser o veículo e o palco para que o outros brilhassem: fizemo-lo de cada vez que convidamos as Associações de Estudantes, as Organizações, os alunos e os ex-alunos.

Segue-se, assim, a nossa História. 

Terceira Edição

Março

Preparada num contexto absolutamente atípico – confinados – esta nova edição do Diurna. é, antes de mais, o palco principal a alunos e alumnus que constroem a nossa casa. É, ao mesmo tempo, a tribuna para discutir a atualidade e refletir. É o lugar onde encontramos aqueles que admiramos. Esta é a 3ª Edição do Diurna.!

Chegados à 3ª Edição do Diurna., propusemo-nos a um novo desafio: criar a mais imersiva das experiências para aqueles que nos lêem. Nesse sentido, para nos aproximarmos da sensação do folhear de um jornal, decidimos disponibilizar esta edição em formato ePub. Aconselhamos-te o uso de um qualquer ePub Reader, fácil de encontrar online ou nas lojas digitais de aplicativos: o iBooks é uma ótima escolha.

Mapear a Intersecionalidade

O Cruzamento Multidimencional entre Classe, Raça e Género

 

Numa sociedade progressivamente mais polarizada, problemas com séculos de história e estórias tem vindo a ganhar relevo de uma forma que, há não muito tempo atrás, achávamos imprevisíveis.

Movimentos cívicos, por outro lado, como o “Black Lives Matter” surgiram com uma força tremenda, potenciados pela globalização e pelas mesmas redes sociais que o tentaram desacreditar.

O mais elementar sentido de justiça é, agora, questionável. O sentido ético que coordenou (ou pelo menos tentou) o Mundo, no final da 2ª Guerra Mundial, entrou em crise.

Discussões absolutamente necessárias são finalmente trazidas para cima da mesa mas raras são as vezes onde o conhecimento e a informação servem de verdadeiras bases.

Por estes motivos, para que livremente, cada um, possa compreender o Mundo, tomar posição e, eventualmente, construir uma sociedade melhor, o Diurna. oferece-vos uma Edição Especial capaz de abordar temas ancestrais, de uma maneira despudorada, sincera e informativa. A ousadia de o escrever é o cumprimento de um dever cívico de empoderar as mentes que se querem argutas e ricas.

Segunda Edição

Dezembro

A Equipa do Diurna. tem a honra de vos apresentar a mais plural das suas edições. Num desafio que aceitamos de bom grado, em resultado das críticas que recebemos, demos mais espaço aos autores, criando mais conteúdo, diversificamos as fontes e evoluímos no grafismo. Sabemos que, a cada Edição, o desafio de superar a anterior é maior. Porém, queremos acreditar que, desta vez, pelo menos, fomos bem sucedidos. Uma ótima leitura e, já agora, até ao próximo semestre!

Brevemente. 

Edição Especial #2

Dezembro

EE DIURNA

 

As Contas do Estado

A Solução Portuguesa. O Estado Português faz Gestão (?)

 

Qualquer aluno da CPBS, ou fora dela, que tenha tido a oportunidade de privar com a Professora Ana Madsen sabe do seu fascínio por matérias como aquela que, aqui, temos a oportunidade de fazer discorrer. 

Encarnando o papel daquilo a que chamaria de uma contadora de histórias nata, neste texto, que contou com a colaboração de um dos nosso Editores, Daniel Madureira Fonseca, o dedilhar no teclado replica, com uma verosimilhança impressionante, uma qualquer conversa que podíamos ter com a mesma. Há quem diga, inclusivamente, que é mais ou menos o mesmo que reduzir a escrito uma aula, não ficando, sequer, de lado os ‘à parte’, as piadas e as ironias. 

No decorrer de uma carreira extensa, interessante e diversificada, que a fez privar de perto com fontes informativas que, de outra forma, não conheceríamos, este extenso trabalho de pesquisa apresenta-se como um guia fundamental para que qualquer cidadão possa refletir sobre os direitos que tem sobre o Estado, enquanto entidade que o representa, que age, que deve curar pelo exercício das suas responsabilidades, conforme a lei, sempre em prole daqueles que democraticamente lhe conferem poderes e competências para tal.

Primeira Edição

Novembro

Ao longo das últimas semanas, coordenámos, construímos e editámos aquilo que hoje aqui encontram. Ambicionamos, como poderão ver, servir de plataforma para congregar artigos de natureza científica, de opinião, de divulgação, entrevistas, curiosidades, entre outros. É com todo o orgulho que vos deixamos a 1º Edição — Novembro 2020.

Edição Especial #1

Novembro


O Lenocínio

As Decisões que marcaram o último ano judicial no Tribunal Constitucional

“A ideia de que é possível escrever e informar, dar a conhecer e expor temas de forma descomplexada e acessível a todos – entre outros – é um dos objetivos que norteia o Diurna.. Abrir espaço à colaboração entre vários autores, ou deixar que solitários se espraiem, é o grande objetivo da Edição Especial.Complementar a cada Edição, o Diurna. é enriquecido por um espaço próprio, dedicado a temas de relevo na sociedade, constituindo artigos de fundo e onde brilharão os textos, opiniões e saberes dos mesmos que constroem o resto do nosso jornal académico. (…)

Celebramos, neste mês de novembro, uma das mais marcantes decisões do Tribunal Constitucional, no último ano judicial, simplificando-a. Tornando-a livremente acessível aos doutos, e aos menos doutos, no Direito.

O lenocínio. A prostituição. A liberdade individual. A interferência do Estado. A proteção excessiva… ou adequada.”